Follow Us @soratemplates

terça-feira, 21 de setembro de 2021

Frei e a flor lilás P-63

setembro 21, 2021 1 Comments
Este é Frei

Frei e Milka estavam vivendo uma paixão que ambos desejavam há muito tempo. Eles viviam sozinhos, já tinham vivido outros amores, tiveram seus filhos que agora eram todos adultos e cuidavam da própria vida, tinham netos e até bisnetos. Mas sempre desejaram compartilhar a vida com mais alguém. Quando Milka foi pra Esmirna ela só pensava em Lyam, até que finalmente se desencantou com ele e percebeu o vizinho fandan que sempre considerara seu melhor amigo na cidade. Frei se apaixonou por ela assim que a conheceu mas precisou de muita paciência, inclusive teve que ajudar Milka a tentar se encontrar com Lyam, o que acabou não dando certo. Agora finalmente juntos os dois eram só felicidade. Eles fecharam suas casas e foram passar um tempo juntos na mesma praia do amor que Bah foi com Milo algum tempo atrás. Bah estava muito feliz por eles, a família fez uma festa para os dois. Todos esperavam que Milka se tornasse uma pessoa mais tranquila agora, ela sempre pareceu muito carente de amor e atenção. Frei parecia ter o dom de acalma-la, era um fandan tranquilo que cozinhava muito bem, fazia pão como ninguém e tinha uma grande plantação de cereais.


Bah terminou sua primeira fase de treinamento no grupo EVA e tirou nota máxima. Recebeu o carinho das mestras, o que a deixou ainda mais feliz, e imediatamente já começou a segunda fase. A primeira fase tinha sido mais teórica que prática, já a segunda fase seria justamente o contrário, a prática iria predominar. Nos dias que se seguiram ela chegava em casa completamente exausta. Uma noite depois de tomar banho, se olhou no espelho e percebeu que seu corpo estava se transformando, seus músculos tinham ganhado definição; apesar do cansaço ela se sentia mais forte pela manhã e isso lhe dava garra pra continuar. Ela passou a treinar com as mestras de grau mais elevado, aí percebeu que não estava indo tão bem assim... tinha muito que aprender, precisava de mais agilidade e principalmente não deixar as emoções tomarem conta dela na hora da luta, precisava se concentrar. Milo ajudava sempre que podia, eles treinavam na área externa da casinha da floresta sob o olhar atento de Vó Fah que quando mais jovem treinara no grupo EVA


Numa manhã de setembro Bah fazia seu passeio matinal quase diário pela floresta antes dos alunos chegarem, quando teve uma forte impressão de estar sendo observada. A ultima vez que isso aconteceu foi na caverna que hoje é a passagem mágica entre Solemar e Esmirna. Naquela época ela era uma fandan corajosa mas não tinha o treinamento de hoje. Imediatamente se colocou numa posição de proteção ao mesmo tempo que estava pronta para atacar se fosse necessário. Concentrou os sentidos pra perceber onde a ameaça estava: um leve movimento de um galho e suas folhas denunciaram a presença de alguém que se afastava rapidamente. Bah correu o mais rápido que pode para o local mas não encontrou ninguém. Algo no chão lhe chamou a atenção: eram flores não naturais em Solemar, tinham uma cor lilás e estavam cercadas de gelo. Bah lembrou onde tinha visto essa flor antes: Milo lhe enviara a flor lilás seca dentro de uma carta que lhe mandara da ilha dos tiriosh.


✍ " É a mente que esculpe o corpo." ❤

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

O tempo cura tudo P-62

setembro 13, 2021 9 Comments

 Cabe aqui uma explicação: desde o começo desta estória eu falei que os fandans eram um povo diferente, muitas vezes melhores que os humanos, embora eles sejam em parte humanos e em parte do povo das fadas. Os pecados e crimes humanos mais sórdidos não eram encontrados entre os fandans, como os roubos, estupros, suicídio e homicídio. Acontece que os fandans cuja porção fada é diminuta são mais sujeitos a estes pecados, era justamente o caso de Lyam que tomado por uma ira imensa acabou por matar outro fandan e pagou com a própria vida por isso. Mas por que as rainhas fandans não foram misericordiosas com Lyam? Porque em acontecimentos tão graves como este não havia perdão. As rainhas sabiam que aquele fandan em questão tinha um defeito tão grave que nenhum outro castigo ou pena serviria para ele, era algo incurável inclusive pela magia. Por isso, apesar de alguns fandans questionarem a decisão das rainhas, a maioria concordou com o veredicto. Uma frase foi muito repetida na ilha naqueles dias: "Temos que cortar o mal pela raiz."

Bah ajudou Athina e Milka a se conformarem com a morte de Lyam. Foram dias difíceis para as duas e pra família dele. Syl descobriu que a ex-namorada dele, que também trabalhava com jóias como ela, tinha terminado o namoro há pelo menos 2 meses, ela comentara que Lyam estava muito estranho há tempos, não era mais o fandan que ela conheceu e por quem tinha se apaixonado meses atrás. Ouvindo isso Athina comentou:

- Lyam sempre foi muito frio e racional. Ele parecia desconhecer a empatia. Eu e a mãe dele insistimos bastante em conversas pra faze-lo entender isso, mas não tivemos muito sucesso. De uns tempos pra cá ele realmente estava diferente... 

Bah não quis comentar, mas lembrou de quando foram pela primeira vez na casa de Athina e Lyam apareceu lá, acabaram descobrindo que ele tinha arrancado uma pagina de um livro mágico da avó, um livro milenar que Athina guardava a sete chaves! E ele era contra a volta dos ex-tiriosh, tinha ficado muito chateado, para não dizer irado, com a avó, porque ela fizera a transformação dos tiriosh em fandans. Naquele dia na casa de Athina,  Milka percebeu pela primeira vez que não tinha a menor chance com Lyam, ele era completamente indiferente a ela.

- Preciso encerrar esta minha paixão impossível de uma vez por todas! - disse ela.

- Assim é que se fala! - respondeu Bah.

O tempo passou e as coisas foram entrando na rotina de sempre. Bah foi passar um dia com Milka na casa dela em Esmirna, pois tinham combinado de ver no comércio da cidade alguns tecidos e aviamentos para a mãe que era costureira; quando chegou lá achou a tataravó bem mais animada. Notou que ela olhava constantemente pela janela para casa do lado. Saíram pra loja de tecidos e quando voltaram Milka se adiantou pois viu um fandan chegando a casa vizinha. Bah lembrou quem era ele: Frei! Ele tinha ajudado muito Milka quando ela entrou quase clandestina em Esmirna, naquele momento as duas cidades ainda não eram amigas. A julgar pelo sorriso dos dois, o rosto avermelhado de Frei e a cara bobona que Milka adotou, um novo casal tinha se formado ali e estavam indo muito bem obrigado!

🔷🔷🔷

" Espero que quando a vida te disser: não, você ouça: tente outra vez! "

🔷🔷🔷

terça-feira, 7 de setembro de 2021

O julgamento P-61

setembro 07, 2021 7 Comments
Saia da floresta seca da maldade e venha pra floresta verde do bem!

 Houve um rebuliço enorme em Solemar e mais ainda em Esmirna nos dias após a descoberta do corpo de Bijor. A rainha Lara e rainha Melina deixaram as diferenças de lado e se uniram pra resolver aquele problema. Nunca antes na história dos fandans ocorrera um assassinato, isso tornava tudo mais grave e absurdo, principalmente pela maneira como acontecera. Houve mortes em guerra, mas assassinato não!

 Depois de muito insistir, a polícia de Esmirna descobriu a motivação do crime: os fandans envolvidos tinham descoberto uma mina de ouro do outro lado da cidade mineradora chamada simplesmente de Minas; quem descobriu foi Bijor que estava acompanhado por Lori, os dois eram ex-tiriosh e tinham mantido segredo o máximo que conseguiram, mas precisaram da ajuda de Lyam pra atestar que era mesmo ouro. Em Esmirna os fandans mineradores trabalhavam para a coroa e ganhavam muito bem pra isso, então os três deveriam ter contado ao governo de Esmirna que tinham achado uma mina de ouro, mas não, quiseram ficar com o ouro só pra eles, o plano era vender o metal fora da ilha em um mercado distante conhecido apenas pelos ex-tiriosh e que comprava metais preciosos com muita avidez.

Descoberta a motivação do crime, a polícia quis saber qual dos dois fandans tinha matado Bijor, pois foi confirmado que o mesmo foi pego arrumando suas coisas e separando um barco pra fugir sozinho com o ouro. Eles tinham conseguido extrair da mina uma boa quantidade do metal, mas Bijor não quis dividir, escondera o ouro, daí a fúria dos outros dois fandans. Mas nenhum dos dois confessou o crime. Os policiais chamaram então mago Ron que lançou neles o feitiço da verdade: sob aquele feitiço qualquer fandan falaria apenas a verdade e confessaria qualquer segredo. Foi aí que descobriram que Lyam tinha matado Bijor com sua espada num acesso de fúria. Depois ele teria obrigado Lori a carregar o corpo junto com ele até a encosta onde foi achado dias depois.

A lei dos fandans era clara em relação a casos de assassinato: se o fandan matou alguém pagava com a própria vida. A rainha Melina aproveitou pra repetir que estava certa desde o início: os ex-tiriosh tinham uma índole má... mas calou-se com relação a Lyam que nunca fora tiriosh antes e tinha sido criado em Esmirna com todo amor de sua família. Athina, avó de Lyam, estava arrasada. No julgamento Lyam disse que estava arrependido e pediu clemencia, mas as duas rainhas concordaram que ele deveria pagar pelo que fez, não havia clemencia pra casos de assassinato. Já Lori ficaria preso por um bom tempo. O executor da pena era um guarda do palácio de Esmirna, que usou a própria espada de Lyam, mas antes ele foi sedado, foi a única coisa que as rainhas permitiram em favor do réu. 

🔷🔷🔷

" Ninguém tem o direito de fazer o que deseja, a não ser que deseje fazer o que é direito. "

🔷🔷🔷

terça-feira, 31 de agosto de 2021

Crime P-60

agosto 31, 2021 9 Comments
Ou não...

Recordando a estória, Beor era um fandan muito idoso de Esmirna que tinha perdido um irmão há muito tempo, na época que os antigos fandans se mudaram pra ilha de Solemar e estabeleceram ali sua nova morada. Quando os Tiriosh começaram a aparecer em Solemar, Milo foi na antiga ilha, primeira morada dos fandans, e encontrou ali alguns tiriosh que sobreviviam em meio ao frio intenso de um eterno inverno. Conversou com um deles que posteriormente se descobriu que era o irmão desaparecido de Beor e que se chamava Bijor.

- Pelo que me disseram - explicou Milo a Bah - Bijor andou se metendo numa briga com dois outros fandans. O que a polícia está tentando descobrir é qual seria o motivo da briga, porque as únicas testemunhas do fato não ouviram muita coisa, só uma frase: " Você quer ficar com tudo."

Bah estava pasma. Desde quando havia brigas deste nível entre os fandans? Aparentemente a briga era por algo valioso que eles pretendiam dividir entre si, mas Bijor teria mudado de ideia e pretendera ficar com tudo só pra ele.

- Quem eram os dois outros fandans que estavam brigando com Bijor?

- Ninguém sabe. Eles estavam dentro de um quarto de hotel e os fandans que ouviram a frase estavam passando no corredor. Beor está uma pilha de nervos.

※※※※※

Duas semanas se passaram sem novidades. Bah continuava sua rotina normal, o treinamento no grupo Eva seguia satisfatoriamente, ela mesma se impressionava com seu progresso. Numa segunda, no meio da tarde, Milka apareceu na casinha da floresta muito agitada e chorando muito, nem conseguia falar direito, Bah fez tudo para acalma-la até que ela falou:

- Eles descobriram quem eram os fandans que brigaram com Bijor no hotel!

- Mesmo? Quem eram?

- Um deles era Lyam!!

- Meu Deus!

Lyam , a paixão de Milka! Pelo jeito ela ainda não esquecera o rapaz... nem um pouquinho! 

- Milka... - Bah abraçou a tataravó - Meu sexto sentido nunca se enganou com Lyam...

- Eu sei, eu sei... mas eu não consigo esquecer ele... - E caiu no choro outra vez.

O outro fandan também era, assim como Bijor, um tiriosh transformado. Os dois foram presos, mas disseram pra polícia que não sabiam do paradeiro de Bijor. Lyam jurou que quando deixou o hotel Bijor ficara lá conversando com o outro fandan. E o motivo daquilo? Os dois cerraram a boca e nada disseram.

Mas não foi preciso esperar muito. Dois dias depois uma fandan, companheira de Bah no grupo Eva, estava praticando escalada em uma encosta íngreme de Esmirna, quando deu de cara com um fandan deitado e ensanguentado, levou um susto tão grande que quase caiu lá de cima. Era Bijor morto!

🔷🔷🔷

" Uma mentira coloca em dúvida todas as verdades. "

🔷🔷🔷

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

Novidades nem sempre boas P-59

agosto 25, 2021 12 Comments
O caminho da floresta que passa em frente a casinha de Bah

A conversa na casinha da floresta continuava:

- Você está sabendo de alguma outra coisa? - perguntou Bah a Erik se referindo as ultimas palavras dele.

- Não exatamente. É que eu me lembrei que a rainha Melina falava mal dos tiriosh, que eles não deveriam ser transformados em fandans e conviverem conosco porque eles tinham uma índole má. Mas o que estamos vendo agora? Quem tem índole ruim? Ela! Acho que ela tem a mesma visão estreita sobre as pessoas e as coisas que acontecem, igual a antepassada dela que lançou a maldição dos tiriosh - Erik fez uma pausa e todos ficaram pensando no que ele tinha dito - Bem, preciso ir!

Bah e Alê acompanharam Erik até onde a estrada entrava na floresta e foi aí que quase esbarraram em Milo que vinha chegando. Os dois fandans ficaram se avaliando e Bah constrangida lembrou que os dois não se conheciam ainda. Ela fez as apresentações. Foi Erik que falou primeiro:

-Finalmente nos conhecemos! Vi você duas vezes mas foi de longe.

- Não tinha lhe visto ainda, mas já tinha ouvido falar sobre você.

- Agora fiquei curioso, quem falou de mim pra você?

Milo deu um sorriso largo, mas Bah percebeu que ele estava preocupado com alguma outra coisa:

- Não se preocupe, falaram muito bem de você! Bah diz que você é um ótimo pai e o contador de Esmirna me disse que tinha trabalhado com você esta semana, achou você muito competente e responsável.

Sempre atenta aos sinais Bah achou que os dois fandans estavam com ciúmes dela e do pequeno Alê, como se considerassem que o outro era um intruso ali naquele núcleo familiar. 

Eles se despediram.

Mais tarde Bah ficou receosa de contar a Milo o que descobrira na conversa com Athina, afinal era da mãe dele que ia falar mal, mas Milo a surpreendeu mais uma vez:

- Eu sei o que minha mãe fez com Alana. - disse ele de maneira simples e com uma voz baixa.

- Como você soube?

- Alana me escreveu contando tudo. A carta dela é cheia de desculpas. Disse que não pretende voltar pois está com muita vergonha. Sinceramente, quem deveria está com vergonha é minha mãe. O mago Ron não faria nada se ela não tivesse mandado.

Bah ficou quieta. 

- Fui conversar com ela sobre isso.. Conversar? - Milo deu uma gargalhada - Foi outra briga! Ela diz que fez isso para o meu bem! Como assim? Porque os pais dizem isso para os filhos? Eles fazem planos pra nossa vida e querem que a gente faça exatamente o que eles querem! Mas a vida é minha, eu decido o que é melhor pra mim! Já disse isso pra ela várias vezes. E pra completar a polícia de Esmirna está em polvorosa.

Bah sentiu um arrepio subir das pernas até a raiz dos cabelos da cabeça:

- O que houve?

- Um daqueles fandans novos...  - era assim que eles chamavam os antigos tiriosh - desapareceu há duas semanas! Lembra do irmão de Beor que eu encontrei na outra ilha? Foi ele que sumiu!

🔷🔷🔷

Todos vivemos sob o mesmo céu, mas nem todos veem o mesmo horizonte.

( Konrad Adenauer )

🔷🔷🔷

quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Bah entendeu tudo P-58

agosto 18, 2021 11 Comments
Bah numa lagoa da floresta

Alana foi o assunto nas rodas de conversa de Solemar e Esmirna por pelo menos uma semana. Milo contou para Bah que a rainha Melina teria ficado inconformada com a partida dela, inclusive teria ordenado a volta da fandan, pois queria que ela voltasse a morar no palácio. Mara ficara estupefata e teria escrito para a antiga amiga pedindo pra ela voltar, mas não houve jeito, Alana não voltou. Milo, por sua vez, se declarou aliviado, afinal aquela situação chata tinha terminado, ele ficou com pena de Alana.

Mas uma coisa não saía da cabeça de Bah: Alana tinha dito que estava sob efeito de algum feitiço. Por isso, quando Erik veio pegar Alê pra passar o dia com ele, Bah aproveitou e se embrenhou na floresta e foi novamente na casa de Athina, só que dessa vez sozinha. Encontrou Athina cuidando de sua enorme horta, ela produzia as melhores folhas comestíveis de Solemar, sua banca era um sucesso na feira. Bah ajudou Athina a terminar o trabalho e as duas finalmente pararam pra fazer um lanche.

Bah explicou pra Athina o que estava pensando de toda aquela situação:

- Alana falou que a ilusão tinha se quebrado naquele dia que fomos ao palácio de Esmirna.

Athina sorriu e balançou a cabeça afirmativamente:

- Sim! Você acha que eu deixaria uma situação daquela continuar sem que eu fizesse alguma coisa?

-Então você realmente quebrou o feitiço?

Athina continuou sorrindo e dizendo sim com a cabeça.

- O sinal na testa de Alana era muito claro: uma magia proibida! Mago nenhum tem o direito de enfeitiçar o outro desse jeito! Alana era um fantoche.

Mesmo consternada uma nova ideia ocorreu a Bah:

- Acho que sei quem colocou o feitiço nela.

- Pois diga!

- Mago Ron!

-É claro! - Athina fez uma careta - aquele mago nunca me agradou, sempre metido com algo sórdido!

A mente de Bah não parava, ela estava unindo os pontos e encontrando as respostas:

-Você acha que... a rainha Melina mandou ele fazer isso?

Athina parou de sorrir:

- Também pensei nisso, ia até comentar com a rainha Lara, mas achei melhor não falar nada... a relação das duas rainhas anda muito ruim.

- É verdade. Elas não conversam mais... não sei se conversar com a rainha Melina adiantaria alguma coisa, ela anda muito intransigente.

Quando Bah voltou pra casa contou tudo que tinha descoberto pra Vó Fah, Milka, Syl e Erik. Os comentários e exclamações se prolongaram, mas o comentário de Erik foi o melhor:

- A rainha Melina está colocando as garras de fora. Espero que eu esteja errado, mas isso é só o começo, pode aguardar que vem mais por aí...

🔷🔷🔷

" Conhecimento te traz poder, caráter te traz respeito."

🔷🔷🔷

quarta-feira, 11 de agosto de 2021

O desabafo de Alana P-57

agosto 11, 2021 6 Comments
Alana numa oração por sua nova vida.

Bah não conseguia acreditar que Alana estava ali em frente a sua casinha. As duas ficaram se encarando por algum tempo, o sorriso cínico de Alana tinha sumido, ela parecia triste e até um pouco preocupada. Os dois guardas se afastaram e se postaram um de cada lado do caminho. Por fim Bah achou que tinha que falar alguma coisa, mas Alana se adiantou:

- Me desculpe aparecer assim sem avisar. Tive que perguntar onde você morava, pois realmente precisava lhe falar.

- Estou ouvindo - Bah muito séria, não queria convidar a outra pra entrar e sentar.

Alana suspirou e começou:

- Queria lhe dizer que realmente sinto muito por toda esta situação com Milo. A rainha e Mara não sabem que eu estou aqui.

Bah deu um sorriso de total descrédito para a outra.

Alana tentou se explicar:

- Desde criança sempre fui fascinada pelo príncipe. Eu me imaginava casando com ele, cheguei a desenhar meu vestido de casamento, fiz mil planos para o futuro com ele, quantos filhos queria ter... Mas cometi um erro terrível: não perguntei se ele gostava de mim e queria viver este sonho comigo. A verdade é que ele não gosta e acho que nunca vai gostar de mim. Naquele dia no palácio alguma coisa se quebrou, alguma coisa que me fazia insistir nisso sem ver a realidade. Eu vivia dentro de uma ilusão, finalmente percebi quão iludida eu vivia quando olhei pra Milo ontem e vi claramente que ele me despreza... Eu insistia tanto que ele fugia de mim o tempo todo!

Alana caiu no choro e Bah ficou sem saber o que fazer. Sua intuição lhe dizia que Alana estava sendo sincera, não havia dúvida, fandans não são capazes de fingir tanto. O rosto dela, antes muito pálido estava agora muito vermelho: Alana estava envergonhada por estar confessando algo tão intimo a uma quase desconhecida.

- Sabe, hoje quando acordei, me veio a ideia que talvez estivesse sob efeito de algum tipo de magia que me impedia de ver o óbvio, só isso explicaria como me comportei este tempo todo. O apoio de Mara e da rainha agora não significam nada pra mim.

-O que você vai fazer agora?

-Vou embora pra casa de minha mãe no interior. Deixei uma carta para rainha e outra pra Mara explicando tudo. Minhas coisas já estão num barco que partirá daqui a duas horas para o vilarejo onde nasci.

Alana enxugou as lágrimas e encarou Bah outra vez:

- Olhe, você foi bem nos testes pra princesa, bem melhor que o "razoável" da rainha. Mas ela nunca vai admitir isso pois é teimosa e orgulhosa, não sei o que ela vai fazer daqui pra frente, mas eu estou fora disso. Me desculpe e boa sorte!

Bah não resistiu e deu um longo abraço em Alana também lhe desejando sorte em sua nova vida. Esta com o semblante bem mais aliviado, ajeitou o capuz na cabeça e partiu ladeada pelos guardas pela estrada afora. 

🔷🔷🔷

As vezes tem que doer como nunca, pra não doer nunca mais.

🔷🔷🔷


quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Outra visita inesperada P-56

agosto 04, 2021 6 Comments
Alana

 Bah não lembra de ter se sentindo tão feliz por ter recebido um convite antes. Ela não era uma fandan impetuosa, pelo contrário, costumava ponderar e pensar antes de tomar uma decisão importante. Mas dessa vez, ao receber o convite da fandan guerreira, nem titubeou:

-Sim, quero entrar para o grupo EVA! Quero muito!  - E abriu um sorriso imenso, de orelha a orelha.

As guerreiras bateram palmas, abraçaram Bah lhe dando as boas vindas e imediatamente ensinaram a primeira lição: a saudação que as guerreiras faziam quando se encontravam que consistia em colocar a mão direita no ombro da outra e dar um beijo na bochecha direita.

A partir deste dia Bah adaptou sua rotina diária para ter duas horas de treinamento na EVA. O grupo tinha uma sede no centro de Solemar, exatamente na praça central onde todo sábado tinha feira e onde Vó Fah vendia alguns doces que fazia com a neta. Era um prédio de dois andares, a sede ficava embaixo e Lya, a líder do grupo, morava em cima. Bah tinha passado na calçada várias vezes e sempre parava pra admirar uma arte pintada na parede onde uma fandan guerreira fazia uma pirueta no ar com uma espada. Já se imaginava fazendo o mesmo. Não pode deixar de notar na diferença gritante no treinamento pra ser princesa, que tinha sido como uma obrigação forçada e quase constrangedora para ela, pois sentia que não era bem vinda pela própria rainha.

Aquela novidade boa na sua vida fez com que ela esquecesse de vez todo o episódio do quase noivado com Milo. Ficou muito empolgada com o treinamento e mesmo em casa se via repetindo os exercícios que seus pequenos alunos tentavam imitar pra se divertir:  Bita, Micha e Malcia disseram que quando fossem adultas também queriam ser guerreiras, mas a única que imitava bem a professora era Malcia. Bah tinha lido e memorizado os direitos e deveres de uma guerreira e um dos deveres era encontrar novas alunas para o grupo, por isso já ficou de olho em Malcia, ali estava uma possível candidata.

Parece uma sina inevitável e nem sempre boa, mas aconteceu de novo: desta vez Bah estava chegando em casa vinda da floresta, com flores e algumas ervas que tinha colhido, quando viu se aproximar três fandans: reconheceu dois como sendo guardas de Esmirna, seu coração deu um salto no peito, e no centro vinha uma fandan que não reconheceu imediatamente pois ela estava com um capuz... por que aquela fandan não queria ser reconhecida? Quase sem perceber entrou no jardim e fechou o portão antes deles chegarem em frente a sua casinha. A fandan baixou o capuz e encarou Bah: era Alana!

🔷🔷🔷🔷🔷

" Não se misture com quem você não seria."

🔷🔷🔷🔷🔷

quarta-feira, 28 de julho de 2021

O grupo EVA P-55

julho 28, 2021 8 Comments

Os dias passaram devagar, Bah se dedicou aos seus pequenos alunos e evitava pensar na cena no palácio de Esmirna. Houve muitas conversas e fofocas sobre o ocorrido, Syl que era perita em conseguir informações que ninguém sabia, descobriu que Alana era prima de Milo, mas foi criada praticamente como irmã dele, vivia no palácio desde pequena e era a melhor amiga de Mara, por isso quando a rainha Melina disse que ela era de seu agrado, não estava mentindo: Alana seguia a cartilha da rainha em tudo. Milo torcia o nariz sempre que falava nela, de todas as candidatas a princesa Alana era a única que ele não tinha namorado.

Numa quarta-feira cinzenta por volta do meio-dia, Bah tinha colocado os alunos pra cochilar após o almoço e estava arrumando a varanda para a próxima aula, quando recebeu uma visita inesperada. Três fandans vestidas de negro e rosa disfarçadamente armadas surgiram na estrada que vinha da floresta. Bah reconheceu as fandans e suas roupas: elas pertenciam a EVA um grupo de guerreiras que ensinava as outras fandans a arte da luta e defesa pessoal. Todas as fandans tinham treinamento básico na escola, mas caso desejassem ir além disso procuravam a EVA para se aprimorar. A arma principal que elas usavam era a espada, dentre outras. O grupo era antigo, já existiam fandans guerreiras antes de Solemar existir, no começo elas eram guardas pessoais das rainhas, trabalhavam dentro da área restrita e pessoal da rainha e sua família, por isso juravam nunca espalhar o que vissem ou ouvissem por lá. Recentemente, quando Solemar quase entrou em guerra com os extintos tiriosh,  a EVA treinou todas as fandans novamente para que pelo menos soubessem se defender caso fossem atacadas. As guerreiras da EVA participavam de lutas e guerras, algumas trabalhavam na guarda do palácio de Solemar, eram fortes e rápidas. Bah sentia uma profunda admiração por aquelas fandans.

A guerreira que vinha no centro das três tomou a frente pra falar, Bah sabia que ela se chamava Lya e era a melhor guerreira de Solemar, a líder do grupo EVA.

- Boa tarde, Bah. - disse ela - Vim aqui lhe fazer um convite que espero que aceite.- fez uma pausa significativa - Soubemos que achou a espada relâmpago e que esta reage a você perfeitamente bem. Você não gostaria de treinar para ser uma guerreira? Achamos que você tem todos os atributos necessários para ser uma de nós! Então, o que você me diz?

🔷🔷🔷🔷

Sou plena, sou absoluta, sou mulher guerreira que nunca temeu ir a luta.
Sou plena, sou absoluta, muitas vezes tenho medo, 
mas não é nenhum segredo que sou mais forte que a dor. 
Sou rocha mas também sou flor. Nildinha Freitas

🔷🔷🔷🔷


quarta-feira, 21 de julho de 2021

A vida sempre continua P-54

julho 21, 2021 7 Comments

 Bah manteve a compostura enquanto estava dentro do palácio andava muito depressa a caminho da saída, mas sem correr e olhando só pra frente. Ouvia a voz de Milo chamando por ela, mas não queria parar, não podia parar. Já no pátio, Milo conseguiu alcança-la, mas Bah nem deixou ele falar foi logo dizendo:

- Por favor, me deixe ir, preciso ficar só por um tempo.

Milo concordou e até entendeu, o que podia fazer? Já na rua começou a correr, as roupas e sapatos não eram apropriados pra isso, mas ela deu um jeito. Percebeu que os fandans de Esmirna olhavam pra ela adivinhando o que tinha acontecido, mas não se importou, só parou quando já estava em Solemar. A floresta em torno da caverna, onde estava a passagem mágica, estava silenciosa poucos fandans andavam por ali, ela se embrenhou por uma passagem lateral que conhecia bem, andava muito por ali desde pequena, encontrou um antigo banco de pedra e finalmente parou, sentou e chorou. 

Foi tudo um sonho... ela tinha realmente acreditado que se casaria com um príncipe? A voz da rainha Melina ainda estava ali e a palavra "razoável" também, ela tinha sido apenas razoável nos testes? Achava que não. Alguém tinha lhe dito que a rainha Melina era dura e perfeccionista também. Bah achava que ela diminuíra seus méritos e aumentara os de Alana que se saíra "esplendorosamente bem", como assim? Bah sabia de seu valor, mas era sempre ruim não ser escolhida como a melhor em alguma coisa. O sorriso cínico de Alana e a indiferença de Mara eram difíceis de esquecer também... lembrou que já tinha visto aquele sorriso debochado em alguém... ah sim! Lyam! Um pensamento louco lhe ocorreu: era difícil encontrar um fandan maldoso, a maioria tinha boa índole, mas em Esmirna já conhecera dois: Lyam e Alana. Ela sentia que eles eram capazes de qualquer coisa pra conseguir o que queriam.

O tempo passou, as lágrimas secaram e ela se descobriu com fome. Lavou o rosto numa pequena fonte ali perto e resolveu voltar pra casa. Foi neste momento que ouviu a voz de Syl chamando por ela, um momento depois a amiga apareceu onde Bah estava:

- Bah! Estão todos preocupados! Eu pensei que você poderia estar aqui, você gosta de vir pra cá pra pensar... -  dizendo isso deu um longo abraço em Bah.

Houve uma grande reunião na casinha da floresta naquela noite, a família quase toda de Bah estava lá pra dar apoio. No dia seguinte ela conversou com a rainha Lara e Athina.

- Dê tempo ao tempo, Bah! O que tem que ser será! - disse a rainha Lara.

- Eu tenho pra mim que isso não vai terminar assim. - emendou Athina.

Enquanto isso no palácio de Esmirna, a rainha Melina tomava sua bebida preferida com a filha e Alana, esta acabara de dizer que pelo jeito nunca casaria com Milo.

- Não se preocupe, querida. Conheço meu filho muito bem, cedo ou tarde ele vai esquecer aquela garota atrevida, nunca vi ele ficar com uma namorada por mais de 2 anos. Vai ser só uma questão de tempo. Paciência é uma virtude!

🔷🔷🔷🔷

quarta-feira, 14 de julho de 2021

Decepção P-53

julho 14, 2021 7 Comments
Palácio de Esmirna

 Durante a espera de 24 horas até chegar a hora da reunião com a rainha Melina, Bah recordou os dias que passou no palácio de Esmirna fazendo o treinamento de adaptação que todas as candidatas a princesa tiveram que fazer como um teste para uma nova vida. Nunca soubera como tinha sido avaliada e apesar de achar que tinha ido bem, gostaria de saber qual era a versão oficial de seu desempenho.

Milo se revelou um excelente lutador com a espada relâmpago, que respondia tão bem a ele quanto a Bah. A espada, pelo jeito, era bem seletiva, pois um guarda do palácio nem sequer conseguiu tirar a espada da bainha. Milo contou a ela que teve uma conversa definitiva com a mãe:

 - Eu disse a ela que não aceitaria uma noiva por imposição, pois já escolhi com quem quero me casar e ponto final. 

Isso deixou Bah mais tranquila, mas tinha algo lá dentro do seu coração que lhe dizia que aquilo não terminaria bem. E sua velha e boa intuição nunca falhava.

Na manhã da reunião, Milka, Vó Fah e Syl ajudaram Bah a se arrumar. Ela não permitiu exagero de maquiagem nem de acessórios, para ela o básico já era suficiente. Syl ficou um bom tempo dançando no quarto e dizendo: - Você vai ser princesa!! Você vai ser princesa!!!

Já na sala de reuniões do palácio de Esmirna,  a rainha Melina entrou na sala acompanhada por Mara, irmã de Milo e as duas nem sequer olharam pra Bah; junto a elas veio um fandan idoso com um chapéu torto muito conhecido em Esmirna como Mago Ron. Bah já tinha ouvido falar dele, era muito famoso por suas profecias que sempre se cumpriam. O que ela não sabia, era que Mago Ron era aliado fervoroso da rainha e fazia parte do conselho principal de Esmirna, a rainha nunca tomava uma decisão importante antes de ouvi-lo.

Athina franziu as sobrancelhas quando viu o mago, não gostava dele, e pelo jeito Milo também não, ele apertou a mão de Bah e fechou a cara. A rainha Melina começou a falar:

- Eu respeito a sua escolha, Milo. Respeito também a escolha da espada segundo a profecia de nossa primeira rainha Sol. Mas eu tenho minhas próprias escolhas e convicções. - O aviso dentro do coração de Bah agora chegou ao auge - O mago Ron profetizou que a próxima princesa de Esmirna, que se casaria com meu filho e um dia se tornaria rainha, seria uma fandan de Esmirna, nascida e criada aqui. Não é o caso de sua atual namorada, Milo. E além do mais, Bah foi apenas razoável nos testes e treinamentos para ser princesa. Mas há uma candidata, chamada Alana, que se saiu esplendorosamente bem e que é do meu perfeito agrado, pois a conheço desde criança. Portanto, não vou permitir este casamento.

Bah se levantou tão rápido de onde estava sentada que todos olharam pra ela. No fundo da sala havia uma fandan de cabelos loiros com um sorriso cínico no rosto, Bah adivinhou na hora quem era: Alana! Tinha muitas coisas pra dizer pra ela, a rainha e a filha, mas seu habitual bom senso a impediram, fazer cena nunca foi seu estilo e além do mais não conseguiria falar sem chorar, então simplesmente saiu da sala o mais rápido que pode.

Milo também se levantou e disse pra mãe:

- Pois já que gosta tanto assim de Alana, case a senhora com ela! - E saiu atrás de Bah.

O restante da comitiva de Solemar saiu silenciosamente após Bah e Milo. Todos esqueceram de fazer reverência a rainha. 

🔷🔷🔷🔷

quarta-feira, 7 de julho de 2021

A verdadeira princesa P-52

julho 07, 2021 7 Comments
Bah no dia do desafio

 Bah ficou por um momento sem saber o que fazer. No momento seguinte, um medo primitivo lhe atacou, ela quis subir novamente pelo chifre do dragão e se refugiar lá em cima, mas  percebeu que o melhor a fazer era enfrentar a situação: retirou os instrumentos de escalada da pedra e com um pulo aterrissou de frente para a rainha Melina. E aí aconteceu o improvável.

Milo, Athina e a rainha Lara apareceram do nada na praia. Bah só soube depois que uma magia de Athina tinha mantido todos invisíveis na mata próxima e quando a rainha Melina chegou na praia, eles desceram o mais rápido possível para ajudar Bah. A essa altura dos acontecimentos, não havia mais proteções mágicas no caminho pois a "princesa certa" tinha tornado tudo aquilo inútil no momento que ela se apossou da espada. Milo soubera por um guarda do palácio, que chegara até ele com muita pressa e cavalgando num cavalo marrom, que a rainha Melina recebera uma mensagem anônima avisando do plano e aí os três entraram em ação.

A rainha Melina ficou tão espantada quanto Bah, mas Milo não perdeu tempo, correu e se postou protetoramente ao lado dela e foi logo dizendo numa voz apaziguadora:

- Mãe, você viu o que acabou de acontecer aqui? Veja, Bah está com a espada!

De fato, todos repararam: a espada nas costas de Bah brilhava ainda mais naquele momento.

Milo se virou pra ela e disse:

- Empunhe a espada! Mostre para nós quem você é!

Bah sentia uma espécie de energia em seu corpo que nunca sentira antes, seus olhos brilhavam, ela empunhou a espada que pareceu explodir com sua luz branca, a maioria dos fandans que estavam ali desviou os olhos sem poder encarar aquela luz forte. Dava pra entender porque a espada tinha o nome de relâmpago.

A rainha Melina não desviou os olhos, mas seu semblante mudou ao ver aquilo: não estava mais com raiva, mas era impossível saber o que ela estava pensando, seu rosto ficou impassível. A rainha Lara aproveitou o momento e disse:

- Melina, você não pode negar o que está vendo, nem o que aconteceu aqui hoje. Bah passou no teste e você sabe o que isso significa. Se você precisava de uma prova, aí está!

- Estou vendo - Os olhos dela encararam o filho, Bah, a rainha Lara e Athina demoradamente - Muito bem! - Disse por fim - Preciso de um dia para pensar. Amanhã nos reunimos no palácio de Esmirna.- Deu as costas e foi embora.

Os que ficaram na praia abraçaram Bah, estavam todos felizes. A caminho de casa Bah se imaginava numa encruzilhada, sua vida estava prestes a mudar ou não?

🔷🔷🔷🔷

quinta-feira, 1 de julho de 2021

E agora? P-51

julho 01, 2021 6 Comments
Encontro de dois mundos.

 O plano para resgatar a espada foi minuciosamente arquitetado. Bah sentia uma certa apreensão porque o plano era secreto, poucas pessoas sabiam dele e todas juraram manter segredo até a sua execução. A rainha Lara foi avisada e deu apoio ao grupo, mas Bah tinha medo da reação da rainha Melina quando soubesse.

O dia marcado para a execução do plano amanheceu ensolarado mas ainda assim frio. O encontro dos participantes era exatamente no começo do caminho que descia para a praia onde ficava o chifre do dragão. Dois guardas foram instruídos por Milo para que checassem se havia mais alguém por perto que não fizesse parte do plano. Tudo tranquilo. Bah tinha vestido suas roupas preferidas "de aventuras" e se armado com alguns apetrechos para escalada do chifre. Recebeu o incentivo de todos e um grande abraço de Milo antes de começar sua caminhada.

Bah respirou fundo e começou a descer o caminho. As armadilhas não foram acionadas a medida que ela avançava, havia proteções que Athina pusera nela, mas Bah sabia que conforme progredia as armadilhas ficavam mais fortes e as proteções mais fracas. No fim só poderia contar com a proteção maior citada na mensagem de Sol: que ela só passaria se realmente fosse seu destino ser princesa de Esmirna.

Na ultima parte do caminho ela já avistava a praia lá embaixo, e no alto da escada que descia o barranco a imagem de Sol apareceu na sua frente. Era seu último teste. Sol sorriu para ela e Bah fez uma reverência a antiga rainha de Esmirna. Ela sabia que Sol levantaria o braço, se a palma de sua mão estivesse voltada para cima ela passava no teste, caso contrário a escada ficaria bloqueada e teria que voltar. Com o coração aos pulos Bah observou Sol começar a levantar o braço, parou por um instante que pareceu uma eternidade, e finalmente terminou de levantar o braço com a palma da mão voltada para cima!!! Bah caiu no choro ao ver aquilo, mas era um choro de alegria e alívio. Fez outra reverência a rainha cuja imagem já desaparecia e desceu a escada para a praia. Ao pé do chifre do dragão percebeu algo brilhando ao sol em uma das aberturas da pedra, era a espada! A escalada foi mais fácil que o esperado e em poucos minutos ela estava com a espada vestida em sua bainha na mão: era pesada e ganhou um brilho branco quando ela a pegou e a colocou nas costas. Bah agora sorria e chorava ao mesmo tempo. Começou a descer a grande pedra e quando estava quase pisando na areia da praia, ouviu uma voz conhecida:

- Quem mandou você fazer isso, menina atrevida? -  Era a rainha Melina cercada por seus guardas e com uma cara nada amistosa lá embaixo.

😮😮🌅 

🔷🔷🔷🔷🔷

quinta-feira, 24 de junho de 2021

Um plano infalível? P-50

junho 24, 2021 5 Comments

Noite de lua em Solemar


 A rainha Lara explicou, na mais recente reunião do conselho, que sua relação com a rainha Melina estava "estremecida" devido ao recente problema da maldição dos tiriosh. Mas apesar disso o comércio e a relação entre os fandans de Esmirna e Solemar continuavam as mil maravilhas. Os novos fandans, antes tiriosh, ainda eram o assunto principal e frequentemente eram encontrados no centro de rodas de conversa contando suas aventuras e experiências como tiriosh. Todos estavam decididos a esquecer aquele passado sombrio e seguir em frente com a vida. 

A espada relâmpago foi esquecida por todos no chifre do dragão pois ninguém precisava mais dela... ou por quase todos, pois Milo ainda lembrava da espada! Com o passar das semanas, a rainha Melina resolveu perdoar o filho que voltou a andar por Esmirna e Solemar livremente. Numa noite ele falou pra Bah que queria pegar a espada pois ela era uma relíquia dos fandans, tinha poderes mágicos e segundo a lenda era capaz de curar ferimentos.

- Eu sabia desde o começo, e a maioria dos fandans concordam comigo, que é você que deveria ter pego a espada. Você faria isso?

Bah estava um pouco relutante pois a espada estava em terras de Esmirna e a rainha Melina não ia gostar daquilo, ela sabia agora mais que nunca, que se dependesse da rainha ela nunca teria permissão pra se casar com Milo e se tornar princesa de Esmirna. Explicou pra Milo o que pensava. A expressão do rosto dele ficou muito séria e um lampejo de raiva passou por seus olhos verdes penetrantes, mas ele não falou mais nada. Bah se sentia mal por ser mais um motivo de briga entre ele e a mãe. Mas o que podia fazer?

No outro dia Bah recebeu a visita de Athina. Ela andara sumida por mais de uma semana e explicou que após usar magia várias vezes seguidas nos outrora tiriosh ficara muito cansada, mas agora estava melhor.

- Vim aqui porque Lyam me disse que Milo quer que você pegue a espada relâmpago, mas você não concordou. Entendo suas razões mas a rainha Melina não precisa saber disso. Veja o lado bom: se você conseguir pegar a espada vai provar pra ela que é a verdadeira princesa de Esmirna. A profecia de Sol se cumprirá e a rainha Melina terá que aceitar o inevitável. Sol foi uma rainha magnífica e nunca errou uma previsão ou profecia, todas se cumpriram.

Bah pensou por uns dias, conversou com a família, a melhor amiga... ela sempre fazia isso, ouvia todos, mas no fim a decisão era dela mesmo. Então quando Milo retornou a casinha da floresta, ela se postou na frente dele e disse:

-Eu concordo, vou achar a espada e traze-la de volta!

🔷🔷🔷🔷🔷🔷

BY ANE

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Os tiriosh agora fazem parte do passado P-49

junho 17, 2021 6 Comments

 


Um tiriosh e um fandan

Athina era mesmo perita em magia, ela foi rápida e poderosa. Uma luz branca com reflexos coloridos envolveu os cinco tiriosh e logo depois desapareceu deixando ver cinco fandans extremamente felizes no lugar onde antes estavam ajoelhados cinco tiriosh ansiosos. A magia funcionara! Todos bateram palmas e gritaram com alegria, depois abraçaram os fandans renascidos, estes sorriam e choravam ao mesmo tempo. Solemar entrou em festa novamente pra comemorar tão boa notícia. Daquele dia em diante, outros tiriosh apareceram na praia e no porto de Solemar, foram chegando aos poucos, e rapidamente eram transformados em fandans, sua antiga forma vivente, por Athina.

Os novos fandans começaram a se integrar a comunidade da ilha de Solemar e todos queriam conhece-los e acolhe-los. Duas semanas depois os últimos tiriosh foram a ilha onde moraram para trazer os poucos irmãos que ainda sobreviviam lá. O tiriosh que anteriormente conversara com Milo na ilha veio junto e após sua transformação Beor reconheceu que ele era seu irmão desaparecido, a emoção dos dois foi grande.

Enquanto isso em Esmirna a rainha Melina continuava irredutível. Ela mandou uma mensagem pra rainha Lara alertando que todos tivessem cuidado com aqueles novos fandans:

... Minha antepassada não colocou uma maldição neles a toa, por maldade, ela sabia o que estava fazendo, ela viu o que ninguém via... e o que ela viu foi tão terrível que justificou a maldição ...

Mas a rainha Lara não respondeu a carta. Já Bah que andava muito contente com o rumo dos acontecimentos, ficou mais feliz ainda quando no sábado a tarde Milo apareceu na casinha da floresta disfarçado com roupas estranhas e um enorme chapéu que era usado pelos agricultores de Solemar. Eles mataram a saudade um do outro e Milo aproveitou pra dizer que apesar da mãe, tudo tinha dado certo e estava feliz por isso. No domingo a tarde ele desapareceu tão rápido quando tinha chegado. Bah soube que um amigo dele diria pra quem quisesse saber que Milo tinha passado o fim de semana na casa dele em Esmirna. Posteriormente soube que o tal amigo era Lyam, franziu a testa e olhou pra Milka sentada na varanda da casinha, ela não falava mas Bah sabia que Lyam ainda fazia parte de seus pensamentos.

💔💔💔💔💔💔

quinta-feira, 10 de junho de 2021

Como consertar um erro cruel do passado P-48

junho 10, 2021 9 Comments

 Bah não lembra como foi que chegou ao palácio de Solemar naquela manhã, sentia uma angústia muito grande dentro do peito. Mas quando chegou lá, Milo tinha ido pra Esmirna porque a rainha Lara não tinha permitido que ele fosse preso, e muito menos que ficasse numa cela do castelo de Solemar. A rainha Melina não se fez de rogada e ordenou aos seus soldados que levassem o filho pra prisão no castelo de Esmirna. Contaram pra Bah que era visível o constrangimento de todos, pois ninguém ali concordava com aquela prisão.

- Afinal - perguntou ela - Por que a rainha Melina prendeu Milo?

- Ela disse que foi por uma série de coisas - respondeu Athina que estava sentada ao lado de Beor - Disse que o filho era desobediente e insubordinado, que estava querendo criar caso e confusão, que estava revelando segredos de família há muito tempo guardados...

- O que mais me marcou foi ela dizer que não concorda com o retorno dos tiriosh ao seu estado original - disse Beor.

Neste momento a rainha Lara entra na sala e diz:

- Pra mim a rainha Melina não está em seu estado normal. Ultimamente ela está tomando decisões equivocadas. 

Todos concordaram com ela e Bah disse:

- Rainha Lara, temos que tirar Milo da prisão, isso não é aceitável.

- Infelizmente não posso interferir na decisão dela, aqui eu poderia e não deixei que ele fosse preso aqui, mas em Esmirna eu não mando.

Bah teve que fazer um esforço enorme pra voltar pra casa e dar aula pra seus alunos. O assunto "Os tiriosh foram amaldiçoados e eram fandans como nós" dominava as conversas em todos os lugares, ninguém falava em outra coisa. Felizmente depois de muitos apelos Milo foi solto no dia seguinte, mas estava proibido de sair de Esmirna, ordens da rainha Melina.

******

A rainha Lara reuniu o seu conselho e ficou decidido que Athina e mais duas fandans de Solemar, que eram peritas em magia, pesquisariam qual magia reverteria a maldição dos tiriosh; sua decisão foi comemorada em toda Solemar e uma carta foi enviada ao chefe dos tiriosh explicando tudo.

- Se a rainha Melina não quer fazer nada, problema dela, eu vou fazer!

Athina e suas companheiras passaram dois dias pesquisando em livros antigos até que chegaram a conclusão que uma magia muito antiga encontrada num grande livro de capa azul serviria pra resolver o problema. Uma outra carta foi enviada e no amanhecer do outro dia cinco tiriosh aportaram na praia principal de Solemar, entre eles o chefe dos tiriosh que caiu aos pés da rainha Lara:

- Senhora - disse ele - eu não tenho memória alguma de meu passado, morreria sem saber que um dia fui um fandan, mas tive tempo de voltar a ilha onde moramos e conversei com um velho fandan que sobrevive por lá e ele me confirmou a história, só os mais antigos se lembram.

- Bem - disse a rainha Lara - Já passou da hora de acabar com isso.- Ela fez sinal a Athina, que se aproximou dos tiriosh. Muitos fandans de Solemar estavam ali, inclusive Bah, e todos prenderam a respiração quando Athina começou.

🌟🌟🌟🌟

sexta-feira, 4 de junho de 2021

Milo é preso P - 47

junho 04, 2021 6 Comments
Nuvens negras no céu dos fandans

 Bah precisou tomar um vinho forte aos pouquinhos, porque ajudava a pensar, no final ela disse:

- Quando você pensa em contar pra todos estas novidades? Sim, porque todos os fandans, sejam de Esmirna ou de Solemar, precisam saber disso!

- Eu sei... - Respondeu Milo - O problema é que eu desconfio que a minha mãe já sabe disso e ela não quer que os outros saibam... - Bah levantou as sobrancelhas pra ele - Ela acha que nossa ancestral estava certa em fazer o que fez porque eliminou a maldade do meio dos fandans... ela acha que os maldosos do nosso povo tiveram o castigo que mereciam.

- Isso é muita pretensão dela, ela mesma julgou aqueles fandans e deu a sentença, condenou eles a uma sobrevida horrível quando se tornaram tiriosh, nós guerreamos contra nós mesmos sem saber!

- Você está certa, mas imagine a dimensão que isso vai tomar quando todos souberem...

Milo ficou quieto por um tempo, Bah se apressou em arrumar o almoço enquanto pensava que Milo precisava agir... os tiriosh eram fandans!!! Isso não saía de sua cabeça.

Mais tarde Bah dava um banho em Alê quando Milo disse:

- Eu vou pedir uma reunião da cúpula dos dois reinos e vou contar tudo.

- Não esperava outra coisa de você.

....

A reunião foi marcada três dias depois e a sala de reuniões no palácio de Solemar estava lotada. Bah viu quando Milo entrou junto com um fandam que possuia uma vasta cabeleira branca e deduziu que era Beor. Ela não ia participar da reunião pois não fazia parte da cúpula, tinha ido ao palácio por outro motivo: ela tinha que entregar de vez em quando as provas e notas dos seus alunos pra que fossem avaliadas pela mentora principal. Depois disso passou na casa de sua mãe que parecia sempre ocupada com moldes e costuras de roupas que se multiplicavam em cabides e arrumadas em armários. mas as roupas dos membros da família eram prioridade e Bah foi pra casa satisfeita  com uma sacola cheia de roupas novas.

Já estava em casa, eram mais de sete horas da noite, quando soube por vó Fah que a reunião continuava e estava acalorada, mas foi só no outro dia que soube do pior, Milka entrou correndo na casinha da floresta e foi logo dizendo:

- Bah, a reunião não terminou bem. Milo foi preso pela própria mãe!!

😮😮😮😮😮

linha-divisoria-imagem-animada-0215

sábado, 29 de maio de 2021

As surpresas continuam P-46

maio 29, 2021 5 Comments

Mundos interligados

 Bah não conseguia acreditar no que Milo tinha acabado de dizer:

-Como você descobriu isso? - perguntou ela.

-Na ilha onde tudo começou. Quando estávamos atrás dos tiriosh que nos atacaram lá, encontrei um deles numa clareira, ele levantou as mãos pra cima quando me viu e disse que queria falar comigo. O idioma que usava era antigo, o mesmo que os antigos fandans usavam na época da minha ancestral. Ele me disse que antes era um fandan como nós e podia provar o que estava dizendo. Me mostrou uma parede num antigo templo da ilha onde estava gravada essa parte obscura de nossa estória, minha ancestral é chamada de maldita por eles.

-E porque ela fez isso? Porque ela lançou esta magia maligna em cima de outros fandans?

-Porque segundo ela estes fandans eram rebeldes, viviam discordando da maioria e causavam problemas. Ela achava que eles queriam roubar a pedra, isso acabou acontecendo mesmo, mais tarde. Quando argumentei isso pra ele, a resposta foi que na verdade eles estavam querendo proteger a pedra, porque ela estava usando a mesma pra aumentar seus poderes malignos que usava em segredo. Ela estava usando a pedra para o mal e desvirtuando seus poderes benignos. No fim, você sabe o que aconteceu... e acabou que aqui mesmo também houve divisão entre os fandans, Sol se separou do irmão Eduardo e nosso povo se separou entre dois reinos, e desta vez fomos nós descendentes desta ancestral que causamos a separação.

-Verdade, mas estamos unidos de novo agora!

-Ainda bem! Mas sabe o que seria o certo a fazer? Que alguém entendido de magia revertesse esta magia ruim e os tiriosh voltassem a ser fandans como eram antes. Não precisaria dar um pedaço da pedra pra eles nem ir atrás da espada...

-E você já desconfiava desta estória? Foi na ilha pra confirmar tudo?

Milo deu um meio sorriso:

-Sim...

-Quem lhe disse? Athina?

-Não... Beor.

-Quem é Beor?

-O marido de Athina.

 Bah achou que tinha que se acostumar, porque ultimamente seu queixo não parava de cair com tantas surpresas:

-Pensei que Athina era viúva, afinal ela é bem idosa e vive sozinha...

-Engano seu, estão separados, e ele é bem mais velho que ela... faz parte da primeira geração de fandans que chegou nesta ilha. Ele perdeu um irmão na outra ilha, que agora é um tiriosh, e o maior sonho da vida dele é encontrar este irmão outra vez...

‼‼‼‼‼‼‼‼


linha-divisoria-imagem-animada-0215

domingo, 23 de maio de 2021

Uma conversa com Milo P-45

maio 23, 2021 6 Comments

Milo numa imagem do palácio de Esmirna


Athina foi chamada com urgência pra socorrer Mara, não havia dúvida entre os fandans que ela era a mais indicada pra lidar com magia pois era profundamente conhecedora do assunto e sua experiência acumulada ao longo dos anos não era superada por ninguém. Athina começou a percorrer o caminho pensando que acertara outra vez por duas razões:  não só Mara não conseguira cumprir a missão como iriam chama-la pra consertar tudo. E foi isso que aconteceu, não se passou muito tempo e os fandans avistaram Athina e Mara retornando, esta ultima mancava e tinha um ferimento feio na perna direita, fazia caretas de dor e gemia. A rainha Melina agradeceu pela ajuda e Mara foi levada pra casa pra cuidar do ferimento. 

Na fim da tarde deste mesmo dia Bah voltava de uma aula na floresta com seus pequenos alunos, quando avistou Milo na varanda da casinha. Eles trocaram um olhar significativo mas não se falaram. Já era hora dos alunos irem embora e quando o último saiu de mãos dadas com sua mãe, Bah fez sinal pra Milo se aproximar.

-Como está sua irmã? - perguntou ela.

-Está reclamando até agora, nunca tive fé que ela conseguiria.

Houve uma pausa longa e incômoda, Bah pressentiu que o que vinha a seguir não era bom.

-A mãe e Mara estão me pressionando pra que eu termine o namoro com você. - Ele não olhava pra Bah.

-E é isso que você quer? - Ela se segurava pra voz não tremer.

Milo olhou diretamente pra ela agora:

-Não! De jeito nenhum. - Ele estava visivelmente incomodado com a situação - Ultimamente eu tenho batido de frente com a mãe em vários assuntos, não concordo com algumas coisas que ela acha que são certas... eu vejo o mundo de maneira diferente.

Bah sentiu alívio ouvindo aquilo, eles se abraçaram e ficaram um bom tempo assim.

-Aquela sua viagem pelo mar de dentro, vc enviou uma carta pra mim com um pedido que não contasse pra sua mãe, só pra rainha Lara...

-Exato! A viagem tinha outro objetivo além do principal, e este objetivo era só meu, minha mãe nunca soube disso.

-Posso saber que objetivo era esse?

-Eu vou lhe contar, mas você não pode contar pra mais ninguém, entendeu? - Bah prometeu silêncio e ele continuou - A rainha Lara lhe contou que quem descobriu a pedra lilás foi uma fandan das primeiras gerações de nosso povo? - Bah disse que sim - Ela é ancestral de nossa família, a mãe é descendente direta dela. Pois bem, esta ancestral criou uma magia antiga maléfica que lançava sobre os fandans que considerava seus inimigos.

Bah arregalou os olhos:

- Magia negra?

-Sim, infelizmente. Ela era a fandan mais idosa que se tem notícia, a magia lhe deu vida longa. Pois bem, eu descobri que os tiriosh não são um povo a parte, na verdade eles eram fandans que foram amaldiçoados pela magia maléfica desta ancestral.

😮😮😮😮

domingo, 16 de maio de 2021

Desafio difícil P-44

maio 16, 2021 2 Comments

O começo do caminho que desce para a praia

Bah, assim como toda a Solemar e Esmirna ficou sabendo do desafio que Mara deveria enfrentar. A rainha Lara conversou com ela e concluiu:

- Me parece que Melina não quer ver a quem realmente se refere a mensagem de Sol. Mas vamos aguardar os acontecimentos.

Bah achava que era mais preparada que Mara pra enfrentar o desafio, ela fizera o treinamento de defesa e ataque na escola, isso era ensinado nas escolas fandans, Bah tinha passado com nota máxima, todo o treinamento havia sido revisado com os fandans quando Solemar passou pelo perigo de uma guerra iminente, mas no fim Bah tinha suas dúvidas. O fato da rainha Melina e da própria Mara não a aceitarem como namorada de Milo e futura princesa de Esmirna era deprimente. E pra completar ela tinha muitas perguntas não respondidas com relação a Milo sobre os últimos acontecimentos, uma certa desconfiança crescia em seu coração, eles tinham se afastado desde a viagem de Milo e mesmo ela sinalizando que eles precisavam conversar, ele parecia sempre muito ocupado pra isso.

Os dias se passaram, Bah se dedicou aos seus alunos ao máximo, estava agora igual a Erik: ocupando a mente com trabalho pra não pensar nos problemas. Milka andava triste e decepcionada com o que descobriu de Lyam, então frequentemente quem mais tentava animar a casinha era vó Fah: inventava novas receitas na cozinha, contava piadas. Syl também aparecia com mais frequência para conversar com a amiga, mas Bah pouco falava, só ouvia. 

Até que enfim chegou o dia que Mara tentaria subir no chifre do dragão para encontrar a espada, havia muita expectativa tanto em Solemar quanto em Esmirna. O que se sabia era que ela tinha sido treinada para escalada e pra transpor as armadilhas, embora não tenha se saído bem neste treinamento iria tentar mesmo assim. O local onde ficava o chifre do dragão era uma praia deserta cheia de pedras, só quem conseguisse vencer as armadilhas chegaria ao chifre, a ajuda que Mara poderia ter terminaria no ponto onde a estrada das Minas se bifurcava e descia pra praia lá embaixo, a partir deste ponto ela tinha que se virar sozinha. A maior parte dos fandans das duas cidades não acreditava que Mara conseguiria, mas a rainha Melina estava irredutível. Além de sua própria família, poucos fandans acompanharam Mara a bifurcação da estrada, ordens da rainha, ela achava que Mara já estava nervosa demais não precisava de um cortejo imenso de fandans. Mara respirou fundo e começou a descer o caminho, olhou duas vezes pra trás... quando ela sumiu na primeira curva a ansiedade chegou ao máximo, todos estavam inquietos e  começaram a ouvir barulhos que sabiam ser das armadilhas mágicas sendo acionadas... menos de dois minutos depois um grito de terror de Mara fez todos se arrepiarem, ela caíra em uma armadilha.
 E agora?

❓❓❔❓❔❓